Como montar uma loja virtual?

Uma loja virtual não é nada mais que um site, mais robusto, que permite que você realize vendas de produtos por meio da internet e como montar uma loja virtual?

Mesmo não possuindo uma presença “no mundo real”, comprador ou vendedor, montar uma loja virtual necessita de conhecimento e domínio em diversas áreas, como, por exemplo, na logística de estoque, entrega, segurança e tudo que você imaginar para manter uma loja em perfeito funcionamento.

A criação de loja virtual é um processo complexo e que você precisa ter cautela, já que são vários pontos que você precisa estar atento para que tudo ocorra como o planejado. Mas, se ainda sim você quiser saber como montar sua loja virtual, continue lendo o conteúdo e saiba quais são os passos necessários.

4 Passos necessários para montar uma loja virtual

1. Plataforma

Se o seu desejo é montar uma loja virtual, a plataforma é uma das mais importantes decisões e, claro, precisa ser a primeira a ser tomada. A plataforma é tão importante porque é a estrutura da sua loja, é a base de tudo que será construído.

Portanto, é fundamental que você opte por uma plataforma com total qualidade e flexibilidade, já que, se você precisar, é interessante que a plataforma permita ser alterada para suprir suas necessidades.

É fundamental que você saiba que as lojas virtuais, na grande maioria, trocam de plataforma de três em três anos. Então, leve em consideração esse fator na escolha da plataforma, já que ela precisa suprir suas necessidades tanto agora quanto a longo prazo.

Até porque, optar por uma plataforma pequena e limitada apenas porque o seu negócio está começando não é inteligente, afinal, você espera que a sua loja virtual permaneça do mesmo tamanho durante três anos? Não, né?

No mercado, hoje, existem três tipos de plataformas: as gratuitas, de código fonte aberto e as pagas. Cada uma com a sua característica.

As gratuitas, como você deve imaginar, são extremamente limitadas e não são flexíveis, já que você não consegue customizar totalmente sua página. Já as pagas, além de serem super flexíveis, oferecem um suporte de qualidade. Mas, isso custará uma pequena porcentagem da sua receita.

Agora, a plataforma de código fonte aberto são gratuitas, mas, para que você se dê bem, precisa ter conhecimento específico ou contratar especialistas para conseguir montar sua loja virtual da forma que deseja.

2. Recebimento de pagamentos

Depois da escolha correta da plataforma, receber pagamentos é um dos passos mais importantes, afinal, você precisa dele para que consiga ter uma loja virtual em funcionamento.

Como todos os passos, esse você precisa, claro, de total atenção. Para que você situe, no caso das lojas virtuais, existem três maneiras de receber pagamentos: 1) intermediadores de pagamentos, gateways de pagamento e integração direta com a adquirente.

O melhor para se trabalhar depende, de forma exclusiva, do seu objetivo.

Por exemplo, se você é iniciante e quer crescer suas loja virtual sem estresse, é interessante contar com um intermediador de pagamentos. Agora, se a sua ideia é investir muito em marketing, talvez seja melhor contar com um gateway de pagamentos. Se o cenário é outro e você é experiente e possui uma boa equipe de desenvolvimento que entende bastante de segurança, a integração direta com a adquirente pode ser interessante.

3. Anti-fraude e segurança

Quando falamos sobre recebimento de pagamentos na internet, falamos sobre preocupações que você precisa ter, como, por exemplo, a fraude.

Você precisa ter uma empresa ou até mesmo um método para detectar possíveis fraudes, porque, diferente do mundo real, onde você a rede de adquirência se responsabiliza pelo pagamento dessas fraudes, na loja virtual, o único responsável é você.

Imagina se uma pessoa adquire um produto da sua loja virtual com um cartão de crédito roubado? Você envia o produto e, em questão de dias, depois do envio, o pagamento é desfeito. E aí, como é que você vai ficar com o prejuízo do produto que enviou e sem o dinheiro?

Então, pense sobre isso. Se você conta com um intermediador de pagamentos, como eu disse no tópico acima, o intermediador cuida deve aspecto para você. Mas, se você utiliza um gateway ou integração direta, acredite, é extremamente necessário contar com serviço anti-fraude.

Agora, além de se preocupar com anti-fraudes, é essencial que você se preocupe com a segurança na hora de montar sua loja virtual. Porque você deve garantir que os dados de compra dos clientes estão protegidos e, claro, porque os clientes dificilmente vão comprar de você se não se sentirem seguros.

Endereço completo, número de cartão de crédito, nome e CFP são alguns dos dados mais valiosos que uma pessoa pode ter, então, acredite, você precisa cuidar para assegurar que nenhuma dessas informações irá sair da sua loja virtual.

No mercado existem dois tipos de segurança: Secure Socket Layer (SSL) e Scan de aplicação e IP. Ambos são bons e cuidam para manter informações valiosas em total segurança.

Além de manter em segurança os dados de clientes, é importante que você demonstre para eles que você se preocupa com isso. Então, se você quiser ter um impacto positivos aos olhos dos clientes, tenha selos reconhecidos que indiquem que a sua loja virtual é um ambiente seguro.

4. De olho na legislação

Após a promulgação da Nova lei do Ecommerce, você, como futuro lojista, não pode nem sequer pensar em deixar de cumprir as regras estabelecidas para as lojas virtuais, afinal, evitar problemas jurídicos é sempre bom, certo?

Então, para que você não tenha problemas, saiba quais são os principais pontos que necessitam da sua atenção:

  • No rodapé, os dados da empresa: CNPJ/CPF, endereço e nome da empresa ou do vendedor devem estar no rodapé das páginas.
  • Ter, ao menos, um canal de atendimento para que os clientes possam entrar em contato.
  • Você deve separar as despesas que são embutidas na compra, como, por exemplo, frete e o seguro.
  • Agora as lojas devem conceder sete dias de garantia, ou seja, o cliente pode trocar o produto em até sete dias depois da compra, sem qualquer restrição do lojista.
  • A mesma regra vale, com diferença de um prazo maior, para produtos com defeito. Para bem não durável, 30 dias para a troca e, para bem durável, até 90 dias.

Conclusão: Busque todo o conhecimento necessário para montar sua loja virtual!

Montar uma loja virtual, assim como qualquer outro negócio, é um desafio. Até porque, como você mesmo viu durante o conteúdo, existem vários passos e, acredite, eu só listei os principais. Você ainda precisa contar com um bom suporte, você ainda precisa investir em marketing, dominar sobre logística e frete e por aí vai.

Então, a minha dica final para você que quer ter uma loja virtual é não deixar de buscar conhecimento sobre o assunto. Saber como montar uma loja virtual é um trabalho de etapas e, quanto mais você entende sobre elas, mais chances de acertar e crescer você possui.

Depois de tudo isso você quer abrir sua empresa sendo uma loja virtual? solicite um orçamento para que possamos entrar em contato e ajudar mais um empreendedor [Orçamento]

Contador, Especialista em Direito Tributário, Gestão e Estrategia de Empresa, atuante a 12 anos na aréa de Assessoria de Contabilidade, Empreendedor, Palestrante, Atualmente Diretor Da The Control Contabilidade Online.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Chat
Enviar mensagem via WhatsApp
X